UM DIA PERFEITO TERIA O NOVO DISCO DO MOONS NA VITROLA

UM DIA PERFEITO TERIA O NOVO DISCO DO MOONS NA VITROLA

Lançamento oficial do vinil será no dia 13 de dezembro, no Chico Nunes
Crédito Yannick Falisse

Dreaming fully awake – na tradução literal: “Sonhando totalmente acordado”. Acho que poucas vezes um título descreveu tão bem assim o efeito que um disco causaria nas pessoas… Porque é assim que me sinto quando ouço o novo álbum do Moons, lançado em setembro.

Quem segue a gente aqui sabe que eu sempre falo deles no portal e nas nossas redes sociais, foi a minha grande descoberta de 2018 e é, hoje, a minha banda preferida, ao lado dos Beatles.

Muitas coisas me chamaram atenção nesse novo trabalho. Primeiro o fato de, mesmo sendo músicas novas, nenhuma delas me causar nenhum tipo de estranhamento – o que é comum de acontecer quando você ouve algo pela primeira vez. Ao contrário, a sensação é que todas aquelas canções já faziam parte da minha vida desde sempre.

Outra coisa foi a riqueza de detalhes no som executado pela banda, os vocais impecáveis, o jeito suave de cantar do André e da Jennifer e do conforto pros ouvidos que é curtir esse som. É sim como se estivesse sonhando totalmente acordada, porque enquanto ouço Moons tenho a sensação de que nada de ruim vai me alcançar!

Sobre o disco

Dreaming Fully Awake é fruto do amadurecimento artístico, do crescimento pessoal e do senso coletivo do Moons, resultado de prazerosos encontros semanais e experiências nos shows. A essência permanece em seu estilo de música folk, melancólica, etérea, reflexiva, feita para apreciar com calma, mas dessa vez a experiência é menos introspectiva e mais orgânica.

André Travassos (letras, voz, guitarra e violão), Jennifer Souza (voz e guitarra), Bernardo Bauer (voz e baixo), Digo Leite (gaita, guitarra e lap steel), Felipe D’Angelo (voz, teclados, piano e guitarra) e Pedro Hamdan (bateria) se isolaram num sítio em intenso processo de criação e gravação das canções.

O disco inteiro foi gravado em quatro dias num antigo gravador de fita de rolo Tascam 388, do Leonardo Marques, que também é o produtor dos três álbuns da banda. A ideia inicial era apenas testar o gravador, mas o resultado foi tão bom que se transformou no terceiro disco.

Algumas das canções estavam prontas, outras foram feitas inteiras ou concluídas lá, com letras de André e melodias e arranjos divididos entre os seis.

Boa parte do processo de gravação foi registrado em vídeo pelo designer Yannick Falisse (chamado de oitavo mooner, porque o sétimo é Leo, o produtor musical) e trechos desse material foram veiculados pela banda via redes sociais como teasers do álbum. Outro tanto deve fazer parte de videoclipes e pode até virar um minidocumentário.

Conversamos com André Travassos sobre o disco e sobre a nova fase do Moons. Confira:

BHCult: Como você descreveria o novo disco? Que características ele tem?
André Travassos: É o nosso disco mais orgânico de todos. Eu sabia que em algum momento a gente ia buscar fazer uma gravação como fizemos. Isolados em um sítio, totalmente focados e com um equipamento vintage e analógico. Tudo isso conspirou a favor e trouxe essa estética particular do disco.

BHC: Sei que o processo de produção e gravação foi muito especial. Conte um pouco como foi.
André: A gente se planejou minimamente para ir pra um sítio fazer uma espécie de pré-produção e testar a máquina de fita do Léo, nosso produtor. A ideia nem era que isso virasse um disco, mas rolou uma magia ali muito especial que fica até difícil de explicar. A gente estava longe da vida na cidade, 100% focado em tocar e curtir juntos. Acho que foi o tempero especial desse trabalho.

BHC: Apesar de pouco tempo de existência, o Moons já lança o 3º álbum. Essa “inquietude musical” é uma característica muito forte da banda né?
André: Verdade, a gente compõe muito. Temos encontros sagrados todas as quartas-feiras onde ficamos três, quatro horas juntos tocando, tomando café, interagindo de várias formas. Essa convivência é inspiradora demais. É algo muito natural. Quando vimos, tínhamos um disco pronto e não tinha porque não lança-lo.

BHC: Como você vê a evolução do som que fazem do primeiro pro terceiro disco?
André: Enorme, o primeiro disco é um trabalho do qual me orgulho muito. Acho que tem momentos muito inspirados ali, mas ele é mais verde né? Nem eu mesmo sabia direito onde estava querendo chegar com aquilo. Foi uma válvula de escape. Eu tinha uma série de músicas pela qual tinha carinho e queria registra-las. Os discos seguintes tem o componente do encontro com outros músicos que já muda tudo e é muito precioso.

Crédito Yannick Falisse

BHC: Porque, na sua opinião, tantas pessoas tem se identificado com a música do Moons?
André: Que pergunta mais difícil, hehehehe. Mas olha: acho que em primeiro lugar porque é uma música feita com muito carinho e do fundo do coração. Digo isso sem querer ser oportunista e piegas. É a mais pura verdade! O Moons hoje é composto por seis pessoas muito sensíveis, cada qual a sua maneira, mas que possuem uma relação muito forte com a música. Uma relação de cura. A música torna nossa vida melhor todos os dias e acho que a nossa música tem feito isso com as pessoas também. Pelo menos é o feedback que temos recebido. Em momentos tão sombrios como o que temos vivido, as vezes é necessário parar um pouco com a loucura toda e respirar ar fresco. Até mesmo pra conseguir forças pra lutar por aquilo que acreditamos.

BHC: Algumas músicas do novo álbum já vinham sendo executadas nos shows que fizeram ultimamente e em dois singles que lançaram previamente. É uma forma do público já ir se familiarizando com elas?
André: A gente sempre coloca uma ou outra música nova nos shows pra ver como ela se comporta. Guilty Pleasure é uma dessas que já vem sendo executada faz tempo. Sobre os singles é só pra dar um gostinho do que vinha por aí e nos dar mais tempo pra organizar tudo do lançamento do disco.

BHC: Quando será o lançamento em BH e o que vocês estão pensando pra esse show?
André: Vai ser no dia 13 de dezembro no Teatro Francisco Nunes onde lançaremos também o o disco em versão vinil e um cerveja do Moons, feita em parceria com a cervejaria Vinil. Vai ser um show bem especial, com iluminação e projeção muito bem pensados pra tentar trazer toda a atmosfera do Dreaming Fully Awake para o público.

Conheça
Facebook: @spymoons
Instagram: @spymoons
Site: https://www.moonsmusic.net/
You Tube: Moons
Spotify: Moons

Ouça Inside Out, minha preferida: 

Confira a agenda de shows:

 

Categorias
destaqueMúsica
Comente pelo Facebook

RELACIONADOS POR