TRIBUTO A FLÁVIO HENRIQUE NO PALÁCIO DAS ARTES

TRIBUTO A FLÁVIO HENRIQUE REÚNE AMIGOS E GRANDES NOMES DA MÚSICA NO PALÁCIO DAS ARTES

Espetáculo celebra os 50 anos do compositor mineiro
Crédito Rafael Motta

Uma noite de muita emoção e amor. Essa, com certeza, é a atmosfera que vai permear o show em comemoração aos 50 anos do compositor, cantor, produtor, arranjador e uma das figuras mais queridas da música feita em Minas: Flávio Henrique.

Na próxima sexta, 20 de julho, o Palácio das Artes vai promover um passeio pela obra de um dos nomes mais importantes da música popular brasileira contemporânea.

O concerto não é apenas uma homenagem ao compositor, que morreu precocemente em janeiro, aos 49 anos: é uma celebração. Flávio deixou uma extensa obra, com mais de 200 canções, e parcerias com dezenas de compositores de diferentes gerações.

O espetáculo “Flávio Henrique 50 anos”, que tem direção artística de Máximo Soalheiro e direção musical de Rafael Martini, foi construído para destacar todos esses momentos da vida e obra do compositor.

Selecionar apenas as 16 músicas do programa foi um grande desafio. “Muitos amigos e parceiros participaram da difícil tarefa de escolher o repertório. Há dezenas de temas que poderiam compor a seleção, com nível muito alto, mas o resultado representa bem a riqueza e diversidade da obra”, explica Máximo.

Crédito Anna Lara

Para dar unidade ao espetáculo, o diretor musical Rafael Martini convocou um grupo de instrumentistas de destaque da cena brasileira, criando uma sonoridade própria e original. Além da banda, instrumentistas convidados completam a formação musical, com espaço para solos e improvisos, como era do gosto do compositor.

Com arranjos escritos especialmente para o concerto, as músicas ganham interpretações também inéditas. Ninguém vai cantar o que já cantou antes em público ou em disco. Tudo é novo, mesmo que já conhecido profundamente pelos intérpretes. O intento é descobrir evocações estéticas e afetivas, criar um momento do qual Flávio Henrique se orgulharia de participar.

Entre os artistas que se apresentam estão Cobra Coral – com Mariana Nunes, Kadu Vianna e Pedro Morais -, Juliana Perdigão, Lucas Fainblat, Marina Machado, Sérgio Santos e Vitor Santana. Chegam para se juntar ao grupo de mineiros as cantoras Mônica Salmaso e Tatiana Parra. Entre os instrumentistas convidados estão André Mehmari, Chico Amaral, Juarez Moreira e Thiago Delegado.

Ao fim do espetáculo, o público é convidado a celebrar a vertente transgressora do talento político do compositor, com a apresentação de marchinhas de sua autoria, que fizeram história no carnaval da cidade e extravasam a alegria e o compromisso em torno de boas causas.

A banda é formada por Antonio Loureiro (bateria, synth e vocais), Camila Rocha (baixo acústico, baixo elétrico e vocais), Carol d’Ávila (flautas, sax alto e tenor), Felipe Vilas Boas (guitarra, violão e violão de 12), Juliana Perdigão (clarineta e clarone), Marcos Frederico (bandolim) e Rafael Martini (piano, teclado, violão, acordeom e vocais).

Anote!

Flávio Henrique 50 Anos
Data: 20 de julho, sexta-feira
Horário: 20h30
Local: Grande teatro do Palácio das Artes (Av. Afonso Pena, 1.537 – Centro)
Duração: 2h
Classificação etária: Livre
Informações: (31) 3236-7400
Ingressos gratuitos
Retirada: Restam pouquíssimos ingressos. Interessados, devem procurar a bilheteria do Palácio das Artes. Limitados à 4 por pessoa.

Aqui, num show lindo em homenagem a Caetano Veloso com o Cobra Coral:

Categorias
Música
Comente pelo Facebook

RELACIONADOS POR