TEATRO BRADESCO RECEBE PAULINHO DA VIOLA

TEATRO BRADESCO RECEBE PAULINHO DA VIOLA

26/08/2016 0 Por admin bhcult

Paulinho da Viola desembarca hoje e amanhã, 26 e 27 de agosto de 2016, em BH para duas apresentações (imperdíveis e maravilhosas) no Teatro Bradesco, às 21h.  Um dos maiores representantes do samba e herdeiro do legado de Cartola, Candeia e Nelson Cavaquinho, Paulinho, durante toda a sua trajetória, fez importantes parcerias com artistas como Marisa Monte, Arnaldo Antunes, Hermínio Bello de Carvalho, Elton Medeiros, Casquinha, Candeia, entre outros.

Batizado de Paulinho da Viola por Sérgio Cabral e Zé Keti, o artista passeia pela MPB e pelo samba com destreza. Traçou sua história participando das bienais de samba (1968 e 1971), compondo sob encomenda para novelas (Simplesmente Maria, 1970, e Pecado Capital, 1975), e resgatando o samba de morro, sem deixar a influência dos arranjos sofisticados de João Gilberto.

Portelense de coração, Paulinho fez samba-enredo para a agremiação azul e branca e o mais famoso samba exaltação da escola, “Foi um rio que passou em minha vida”.  Este, composto depois que ele escreveu em homenagem a agremiação verde e rosa, em pareceria com Hermínio Bello de Carvalho, o samba exaltação “Sei lá, Mangueira”, para a 1º Bienal do Samba.

Ao longo dos anos 70, Paulinho gravou em média um disco por ano, ganhou diversos prêmios e se apresentou por diversas cidades no Brasil e no mundo. Já nos anos 80, gravou mais quatros discos e manteve-se como um dos principais nomes do samba no país. Nos anos 90, entrou numa nova fase, onde a imprensa e os críticos passaram a vê-lo como um músico mais sofisticado e maduro. Mesmo sem perder seu apelo popular, Paulinho gravou um de seus mais importantes trabalhos, Bebadosamba (clique aqui para ouvir) e montou o espetáculo homônimo.

Recebeu diversos prêmios dados por instituições, empresas, associações entre outros. Podemos destacar o Golfinho de Ouro de 1968, o primeiro lugar no festival de MPB da TV Record de 1969, o prêmio da APCA de melhor show do ano de 1982 com Zumbido e 1997 com Bebadosamba, o Prêmio Shell de 1992, o prêmio Sharp com nove troféus entre outros.

A importância do trabalho de Paulinho também foi reconhecida por órgãos governamentais: em 2001 ganhou a comenda dada pelo governo brasileiro da Ordem do Mérito Cultural,  e em 1985, o título dado pelo governo francês de Chevalier de L’ordre des Art et des Letters. Para fazer um “esquenta” pro show de logo mais, aperte o play na setlist do Paulinho:
https://www.youtube.com/playlist?list=PLGnwZNO0eHSH7lxjwPqCOydXF-zGl2csY

SERVIÇO
Data:
26 e 27 de agosto, sexta-feira e sábado
Horário:  21h
Classificação: livre
Ingressos: R$250,00 (Inteira) R$125,00 (Meia)
Horário de funcionamento da bilheteria: de segunda a sábado, das 12h às 20h; e domingo, das 12h às 19h. A bilheteria funciona até 30 minutos depois do início do espetáculo. Formas de pagamento: dinheiro, todos os cartões de débito e crédito. Horário de abertura da plateia para entrada do público: 30 minutos antes do horário da apresentação.
Informações: (31) 3516-1360
Estacionamento com acesso interno: entrada pela rua da Bahia, ao lado do Teatro. Após estacionar o veículo, o usuário chega ao Teatro por elevador interno, com rapidez e segurança.  O Estacionamento fica aberto até meia-hora após o fim do espetáculo. Valores: R$ 10,00 – sócios; R$ 20,00 – não sócios.