QUEIJO DO SERRO GANHA MARCA PRÓPRIA

QUEIJO DO SERRO GANHA MARCA PRÓPRIA

24/10/2018 0 Por admin bhcult

A região do Serro é um dos terroirs mais aclamado de Minas e os produtores realmente merecem todas as glórias uma vez que os produtos fazem jus a fama que têm  e neste  24 de outubro, o Sebrae Minas, em parceria com a Associação dos Produtores Artesanais de Queijo do Serro (Apaqs) realiza, na cidade do Serro, região Central de Minas, o lançamento da marca Região do Serro, o selo que garante a qualidade do legítimo queijo artesanal. Trata-se da valorização da região a partir do produto, um dos grandes representantes da gastronomia mineira, conhecido desde a época da Coroa Portuguesa. A iguaria é registrada como Patrimônio Cultural e Imaterial Brasileiro e certificada pelo Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) com o selo Indicação Geográfica (IG), na modalidade Indicação de Procedência (IP), que garante sua origem.

A região produtora do Queijo do Serro é composta por 11 municípios: Alvorada de Minas, Coluna, Conceição do Mato Dentro, Dom Joaquim, Materlândia, Paulistas, Rio Vermelho, Sabinópolis, Santo Antônio do Itambé, Serra Azul de Minas e Serro. De acordo com cadastramento realizado pelo Sebrae, em conjunto com a Universidade Federal de Viçosa, a região possui aproximadamente 750 produtores que, juntos, somam uma produção anual de 3,66 mil toneladas, cerca de 10 toneladas por dia do famoso queijo artesanal.

Os produtores são, em sua maioria, agricultores familiares, de pequeno porte, com produção média diária em torno de 15 unidades. Com o apoio do Sebrae, eles estão organizando sua associação e reposicionando o produto no mercado por meio da maturação do queijo e da valorização da origem. A produção do queijo nas propriedades rurais é toda artesanal.

A altitude e o clima são determinantes para as características do produto e contribuem para definir o terroir, a exemplo dos melhores queijos franceses e italianos. “A marca Região do Serro vem expressar a identidade do território e faz parte da estratégia de valorização do queijo e de seus produtores”, ressalta o analista de Agronegócios do Sebrae Minas, Ricardo Boscaro.