PARABÉNS SENHOR PRESIDENTE APRESENTA MARYLIN E CALLAS

“PARABÉNS SENHOR PRESIDENTE” APRESENTA MARYLIN E CALLAS

Espetáculo tem Danielle Winits e Christine Fernandes
Crédito Pino Gomes

Nesta sexta, 29 de novembro, o Sesc Palladium recebe, para uma única apresentação, a peça “Parabéns, Senhor Presidente”.

Com texto de Fernando Duarte e Rita Elmôr, direção de Fernando Philbert, o espetáculo tem no elenco as atrizes Danielle Winits no papel de Marilyn Monroe e Christine Fernandes como Maria Callaque.

O espetáculo transporta a plateia para o ano de 1962, quando Marilyn Monroe cant Happy Birthday Mr. President, para o presidente Kennedy, chocando a sociedade da época.

Antes dela subir ao palco, com seu vestido de sereia rosa chá e fazer a performance que entrou para a mitologia dos anos 1960, grandes artistas se apresentaram, entre eles, Maria Callas, a atração mais aplaudida da noite.

O texto mostra um diálogo que expõe, ao mesmo tempo, as distâncias e as proximidades entre as duas, ressaltando a beleza do universo feminino em sua complexidade. 

Em cena, dois dos maiores mitos da feminilidade do século XX: Marilyn Monroe, a mais absoluta encarnação da carência afetiva, e Maria Callas, uma voz de diamante em forma de mulher.

Apesar das diferenças entre elas, perceptíveis de imediato, a mesma prisão sombria as aproxima, a dificuldade de se afirmar com autonomia em um mundo controlado pelos homens e a impossibilidade de encarar a vida sem afeto.

As duas estão no topo, mas os motivos e os meios através dos quais elas chegaram lá foram diferentes. Dividindo o mesmo espaço por uma hora, as duas mulheres mais famosas do mundo, conversam sobre o universo particular de cada uma, sem imaginar que Marilyn, iria falecer dois meses depois.

Ambas falam de suas inquietações com relacionamentos, suas aparências e suas competências para exercer suas profissões, entre outras coisas. São duas pessoas fascinantes, que, por motivos diferentes, tiveram grande projeção e fins trágicos.

Callas era extremamente técnica e rigorosa, enquanto Marilyn era intuitiva e até um pouco irresponsável, graças a sua instabilidade emocional. Ao mesmo tempo, Callas, antes de Onassis, foi casada com um homem muito mais velho e não teve vida sexual até os 32 anos. Já Marilyn casou sempre por paixão e traiu todos os maridos, não ficando um dia sequer ao lado deles sem estar feliz.

Mais do que falar de Callas e Monroe, o texto aborda temas relevantes sobre o universo feminino. Em cena, as duas mulheres – independentes e bem-sucedidas – o que era raro nos anos 1960, falam com franqueza sobre assuntos ainda em pauta nos dias de hoje.

O espetáculo explora, graças ao duelo verbal entre as duas, o drama feminino dos tempos recentes, a divisão entre afeto e realização, o conflito diante do papel a desempenhar em um mundo ainda regido pelos homens.

A partir da diferença inicial entre os dois perfis – a intelectual e a sensual – o espetáculo desnuda, com humor, ironia e deliciosas sutilezas de raciocínio, o drama único que envolve muitas mulheres em nosso tempo.  

Crédito Pino Gomes

Anote!

Parabéns Senhor Presidente
Data: 29 de novembro, sexta
Horário: 21h
Local: Grande Teatro Sesc Palladium
Rua Rio de Janeiro, 1406 – Centro
Ingressos: a partir de R$40
Vendas: bilheteria do teatro ou pelo site https://www.ingressorapido.com.br/

Categorias
ETC...
Comente pelo Facebook

RELACIONADOS POR