MARIANA NUNES HOMENAGEIA FLÁVIO HENRIQUE EM NOVO DISCO

MARIANA NUNES HOMENAGEIA FLÁVIO HENRIQUE EM NOVO DISCO

"Cantante" seria produzido e arranjado pelo músico mineiro, grande parceiro da cantora
Foto Frank Bitencourt

Mariana Nunes, uma das principais cantoras do cenário musical mineiro, comemora o lançamento do seu novo projeto: o disco “Cantante”, que será apresentado nesta quinta, 12 de março, no teatro do Centro Cultural Minas Tênis Clube.

O álbum, inicialmente, seria produzido por Flávio Henrique, grande parceiro da cantora, falecido em janeiro de 2018, por isso, Mariana buscou a direção musical de um dos maiores músicos brasileiros, Jaques Morelenbaum, que assina também os arranjos e a produção do disco.

A gravação contou com uma banda formada pelos músicos Cristovão Bastos (piano), Lula Galvão (violão), Rafael Barata (bateria), Jorge Hélder (baixo acústico), Nivaldo Ornelas (sax soprano), Marcelo Costa (percussão), e o próprio Morelenbaum no violoncelo.

O disco conta ainda com participações especiais de Ed Motta, João Cavalcanti e do violonista mineiro Juarez Moreira. O repertório tem canções de Caetano Veloso, Vinícius de Moraes, Toninho Horta, Flávio Henrique, Edu Krieger, Ed Motta, Nelson Motta, entre outros.

A faixa que dá nome ao álbum, “Cantante”, é uma composição inédita de Cristovão Bastos e Roberto Didio, feita especialmente para a cantora mineira.

Foto Frank Bitencourt

Conversamos com a cantora sobre o novo trabalho e o show no Tetro do Minas. Confira:

BHCult: Como você descreveria o novo álbum?
Mariana Nunes: Quis muito fazer um disco autêntico, que tivesse a minha cara e acho que ele ficou exatamente assim.

BHC: O projeto, a princípio, seria feito em parceria com o saudoso Flavio Henrique. Como foi esse processo de não poder mais conter com ele? Acha que, mesmo assim, ele está presente de alguma forma no disco? 
Mariana: Foi muito difícil num primeiro momento, mas me dei um tempo para viver com calma meu luto. Confiei no curso natural das coisas e fui aos poucos tentando achar um novo caminho que fizesse sentido. Tenho absoluta certeza de que ele está presente, sonhou esse disco comigo, então tem a energia dele nesse caminho. É um disco dedicado a ele e a gravação de ” Quadros Modernos ” é em homenagem a ele!

BHC: Como surgiu a parceria com o Jaques e como foi fazer esse projeto com ele?
Mariana: O Jaques era um sonho antigo, sempre me identifiquei muito com os trabalhos dele, com a sofisticação que ele imprime nos trabalhos. Ele participou do meu primeiro disco “A luz é como a água”, e sempre foi muito especial por ter sido uma música que encomendei para o Flavio. Em “Quadros modernos”, que é uma música do Flávio, diz “sem você aqui só resta sonhar”, achei que era hora de buscar outros ares e realizar esse antigo desejo
(BHC – Ai gente, arrepiei inteira nessa parte <3).

Foto Frank Bitencourt

BHC: O disco traz participações de Ed Motta, Juarez Moreira e João Cavalcanti. Por que escolheu esses três?
Mariana: O Ed Motta participou de um show do Cobra Coral e cantamos juntos a faixa “Doce ilusão”, parceria dele com o Nelson Motta. Esse momento ficou guardado no meu coração e achei uma boa hora para registrá-lo.

Juarez e eu tocamos juntos num show em homenagem ao Flávio em 2018 com essa versão de “Quadros Modernos”, uma releitura com um arranjo muito inspirado do Juá que foi emocionante. Achei perfeito registrar esse arranjo no disco que é dedicado ao Flávio, essa foi a única faixa gravada em BH.

O João é um artista que admiro muito, grande cantor e compositor, gravei uma parceria dele com o Edu krieger (Ponto de vista) e o convidei ele para “Dueto” de Chico Buarque comigo, pois achei que era o timbre perfeito.

BHC: E o repertório do disco? Qual foi o caminho até chegar ao resultado final? 
Mariana: Segui meus desejos e intuições! Fui escolhendo músicas que tinha muita vontade de gravar, que eram pertinentes nesse momento, e eu e o Jaques fomos costurando, pensando na unidade entre elas e também nas que favoreciam a formação e a sonoridade do disco.

BHC: No show de lançamento, todos os músicos que participaram do projeto estarão contigo no palco, além do Pedro Morais (♥️). Qual sua expectativa para esse show? E o que o público pode esperar? 
Mariana: Estou profundamente realizada. Foi um processo longo e o resultado ficou extremamente verdadeiro. O show é a celebração de tudo isso e estou muito feliz com esse encontro da banda do Rio e as participações de BH, vai ser uma grande festa!

Ouça a música que dá título ao disco (amo a voz de rouxinol dela… canta linda e docemente):

 

Anote!

Mariana Nunes lança “Cantante”
Data: 12 de março, quinta
Horário: 21h
Local: Teatro do Minas Tênis Clube (R. da Bahia, 2244 – Lourdes)
Ingressos: R$ 10,00 | 5,00 (meia entrada)
Vendas: na bilheteria do MTC ou no site http://bit.ly/Mariana-Nunes-Cantante-Show-BH

Categorias
Música
Comente pelo Facebook

RELACIONADOS POR