MALLU MAGALHÃES LANÇA SEU NOVO DISCO EM BH NESTE SÁBADO - %%%%

MALLU MAGALHÃES LANÇA SEU NOVO DISCO EM BH NESTE SÁBADO

No início de junho, Mallu Magalhães lançou seu quarto álbum, “Vem”. Desde o abre alas, com a dançante e alegre “Você Não Presta”, o disco já mostrava que seria...

No início de junho, Mallu Magalhães lançou seu quarto álbum, “Vem”. Desde o abre alas, com a dançante e alegre “Você Não Presta”, o disco já mostrava que seria um sucesso. E tem sido assim… 

O novo cd foi produzido por Marcelo Camelo, que no caso é marido de Mallu e já tinha produzido outros discos da cantora. O trabalho foi gravado em São Paulo, Rio de Janeiro e Lisboa, e lançado seis anos após o último, “Pitanga”.

Logo que foi lançado, corri para ouvir o “Vem” e me encantei! Uma das coisas que eu acho mais foda é quando você ouve um disco só com músicas inéditas e nenhuma delas lhe causa estranheza, pelo contrário, você se familiariza com aquele som instantâneamente. E foi assim com esse disco da Mallu!

19667676_751171308376890_2202112042567606012_oEle é alegre e calmo ao mesmo tempo… Fala da vida, de amor, do dia-a-dia… É um deleite!!! Agora, Mallu chega a BH neste sábado, dia 12, para um show no Music Hall, a partir das 21h. Conversamos com a cantora sobre o disco novo, claro, e sobre a apresentação aqui na capital.

BH Cult Blog: Quem acompanha sua carreira percebe uma mudança muito grande no decorrer dos seus trabalhos… Naquela Mallu que apareceu em 2007 pra hoje, quais são as principais mudanças artísticas, na sua opinião?
Mallu Magalhães: Sinto que fui identificando e reforçando, na minha composição e construção de arranjos, um caráter brasileiro, não só rítmico mas também intencional. O Brasil vivo, forte, o Brasil que pulsa, acho que é ele que cresceu em mim. A experiência e a prática, claro, dos instrumentos e métodos também faz o trabalho ficar mais firme e direto.

BHC: “Vem” é um disco delicioso. Na minha opinião, é muito difícil vc ouvir um disco pela primeira vez e não lhe causar nenhuma estranheza em determinado momento. Mas ouvindo “Vem”, eu amei desde a primeira faixa. Como foi seu processo de criação das letras e melodias? E que momento da sua vida elas refletem?
MM: Muito obrigada! As letras e melodias vem em momentos diferentes mas todas elas refletem esse ânimo que chamo para mim de força, determinação, confiança… É essa esperança que une as composições. “São Paulo”, por exemplo, nasceu enquanto viajava e sentia saudade da minha cidade. Ela representa o lado (muito grande) paulista que tenho, me lembra minha adolescência, aqueles 18, 19 anos no Largo da Batata. Adorava sair do metrô e comer bolo e café de uma barraca que ficava no perto da estação que eu descia. Era, na época, dois reais e trinta (diferente de hoje em dia), rs.

BHC: Fale um pouco das participações especiais que tem no disco. 
MM: A participação do Marcelo (Camelo) é enorme e fundamental. Dos arranjos ao apoio pessoal, passando por tantas linha de guitarra, congas, linhas de sopros… Construímos juntos o disco no estúdio aos poucos. Quando nos deparávamos com algumas ideias ou demanda, pensávamos em quem podia nos ajudar, que tinha a “cara” daquela canção. E sempre nos surpreendíamos como cada artista trazia uma nova cor, um novo cheiro, à canção. Tive a alegria de trabalhar com grandes músicos e amigos, com o Kassin, Victor Rice, Mario Adnet, Rodrigo Amarante, Dadi… e tantos outros músicos incríveis ao longo do caminho.

BHC: A maternidade mudou seu processo de fazer canções? De que forma?
MM: Sim, tenho menos tempo agora!  Mas tenho, também, mais intensidade, mais força e mais calma.

20286760_10156418838437926_5049984184743584105_oBHC: Acompanho em seu instagram que gosta de desenhar, fazer arte. De que forma isso se encaixa na sua vida de compositora, cantora, mãe, esposa e etc. E que benefícios isso te traz?
MM: Tenho sido um desafio gerenciar tantas demandas e necessidades com o tempo que tenho… Várias ideias minhas simplesmente não consigo executar, não dá tempo.

BHC: Sobre o show em BH, o que as pessoas podem esperar?
MM: Podem esperar uma noite emotiva e intensa. É um repertório energético e diverso, com antigas revisitadas para dançar, como “Shine Yellow”… e “Olha Só Moreno” voz e violão para chorar… Aí tem os hits, para cantar junto como “Velha e Louca”… e, claro, Banda do Mar.  É um momento bastante emotivo da minha carreira e uma grande banda tocando pra caramba. Será uma linda noite.

❤️ BH! ❤️

A post shared by mallu magalhães (@malluoficial) on

mallu
Serviço

Mallu Magalhães – Turnê Vem
Data: 12 de agosto, sábado
Horário: a partir das 21h
Local: Music Hall (Av. do Contorno, 3239 – Santa Efigênia)
Ingressos: Pista – R$100,00
Camarote Open Bar – R$110,00
Vendas online: Central dos Eventos

Ouça o disco novo na íntegra: 

Categorias
Música
Comente pelo Facebook

RELACIONADOS POR