LUIZ GABRIEL LOPES LANÇA EP GRAVADO EM PORTUGAL

LUIZ GABRIEL LOPES LANÇA EP GRAVADO EM PORTUGAL

"Presente" é uma reflexão sobre o momento atual e sobre manter a esperança
Reprodução IG

Voz e violão compõem o novo trabalho do músico Luiz Gabriel Lopes intitulado “Presente”, EP que acaba de sair pelo selo Pequeno Imprevisto. Todas as canções foram gravadas em Portugal – onde o cantor está isolado por causa da pandemia do coronavírus -, mas mixado e masterizado no Brasil por Otávio Carvalho.

Para a gravação, LG escolheu quatro músicas: a inédita “Minha Irmã”, o hit “Lembrete” (gravada por sua ex-banda, Graveola), “Recomeçaria” e “Amigo” – uma canção criada por sua tia e incorporada por ele ao repertório.

A ideia era unir a suavidade da voz e do violão de Luiz Gabriel com as letras para incentivar um olhar encorajador para a luta que enfrentamos neste momento. Por isso, “Presente” traz dois significados: um disco que é do tempo de hoje e que também é uma dádiva.

Sarah Leal

Batemos um papo com LG sobre o novo trabalho e o futuro da música. Confira:

BHCult: O que “Presente” vem nos trazer de bom?
Luiz Gabriel Lopes: Gravei essas quatro músicas como uma resposta carinhosa ao momento de isolamento que estamos vivendo. Esse mergulho forçado na própria solidão traz muitos desafios internos e senti que era uma maneira de contribuir com o oxigênio afetivo do mundo à minha volta. Visitar os amigos que estão longe, através da música. Daí resolvi lançar no dia do meu aniversário, como um presente para as pessoas, um agradecimento aos caminhos que me trouxeram até aqui.

BHC: Como você está vendo o momento atual para os músicos? Na sua opinião, como o coronavírus vai influenciar no mercado fonográfico e de shows em geral?
LG: É um momento de muita incerteza sobre tudo. Sinto que existem grandes transformações por acontecer, em muitos níveis. No caso específico da música, há uma discussão importante que é a relação do público consumidor de música na internet com a remuneração dos artistas, principalmente dos mercados ditos independentes. Atualmente a monetização das plataformas de streaming nos paga muito mal e precisamos criar alternativas para fazer nossa arte sustentável. Por isso, lancei o álbum primeiro no Bandcamp, que é uma plataforma que permite que as pessoas façam donativos livres, paguem o quanto quiserem pelos álbuns. Acho que é uma maneira de sensibilizá-las para o fato de que todos temos responsabilidade pela viabilização do ecossistema cultural que nos alimenta. Se todos se responsabilizam e fazem contribuições, mesmo que com valores pequenos, o potencial é imenso.

BHC: Presente será mesmo um EP ou podemos esperar um disco bonitão vindo por aí?
LG: Eu tenho um álbum de estúdio já em fase de finalização, mas a urgência do momento me fez preferir produzir esse outro material, do EP, e lançar agora. Me pareceu mais pertinente trazer uma estética mais rústica, baseada na voz e no violão apenas, sem grande aparato de produção, para criar essa aproximação com o público. Já faz tempo que as pessoas me pedem para lançar algo assim, então sinto que chegou o momento e tô muito satisfeito com o resultado. Tem uma energia bonita, de aconchego, que é o que me parece mais necessário espalhar nesse momento.

BHC: Você tem feito lives? Acha que esse é um formato que veio para ficar, mesmo depois que a pandemia for embora?
LG: Fiz um show de lançamento online do EP por uma plataforma – o Zoom – que permite transmissões com maior qualidade e para grupos menores de pessoas. O público é incentivado a contribuir com qualquer valor, daí recebem um link privado para acessar o show. Fiz uma apresentação assim há algumas semanas e foi incrível, é uma atmosfera bem diferente das lives no Instagram. Rola um foco e uma atenção especial das pessoas praquele momento, tem uma troca bastante especial. Então fica o convite para quem quiser saber mais, só procurar nas minhas redes que vou divulgar durante a semana.

O músico também falou sobre cada uma das canções:

MINHA IRMÃ
“Uma canção-acalanto de esperança e carinho que escrevi pra minha irmã motivado pela saudade e pelo aperto da distância nesse tempo de isolamento. Com fé nas transformações, na sabedoria do que virá, nos futuros luminosos que podemos construir para nós mesmos”.

RECOMEÇARIA
“Uma canção que foi escrita há anos e ainda não tinha gravado. Fala do eterno renascer das coisas, da vida que sempre há de brotar das ruínas. O fim dos ciclos que é também o seu recomeço”.

LEMBRETE
“Uma canção muito especial, que já tinha sido gravada pelo Graveola e ao longo dos anos se tornou uma espécie de hino afetivo pra nossa geração. Foi escrita com dois parceiros numa viagem que fizemos pelo litoral do Brasil, num final de ano onde passávamos por muitas transformações pessoais. E uma ode à esperança e ao reencontro com a própria essência.

AMIGO
“Foi escrita pela minha tia, como uma carta de saudade pro meu pai durante a juventude deles. Nos encontros de família era sempre cantada por todos os tios, com alta carga emocional. Cresci achando que era uma música famosa, mas só depois descobri que era um hit particular da família. Trouxe ela pro meu repertório e é sempre uma alegria cantá-la”

Reprodução IG

LG Lopes

Luiz Gabriel é conhecido por rodar o mundo fazendo shows apenas munido de seu instrumento de seis cordas. É também criador de um festival anual dedicado à canção, a Mostra Cantautores e integrante do grupo mineiro Rosa Neon.

Ilhado numa casa no interior de Portugal, tendo um outro álbum de estúdio já em fase de finalização, ele resolveu gravar esse conjunto de canções nas condições rústicas que existiam, sem grande aparato de produção. “Decidi lançar como um presente ao público que me acompanha, uma flecha que possa tocar também àqueles que não conhecem minha música. Para que possa trazer algum aconchego, carinho e alento, servir de alimento e nos fazer descansar, estar em paz, plenos e atentos, no momento presente”, completa.

“Não sabemos o que virá pela frente, mas sabemos que há uma grande transição planetária em curso. Então meu desejo de coração é que possamos nos reconectar com o sentido essencial da nossa jornada nesse espaço-tempo, que possamos desenvolver nosso imenso potencial criativo, sensível e mágico em prol da vida. Eu boto fé na capacidade humana de gerar abundância e regeneração para todos. Vejo a vida melhor no futuro e a arte é um dos muitos caminhos”, finaliza LG.

Ouça Presente no Spotify.

 

Categorias
destaqueMúsica
Comente pelo Facebook

RELACIONADOS POR