FESTIVAL DE ARTE NEGRA DE BH TERÁ MAIS DE 100 ATRAÇÕES

FESTIVAL DE ARTE NEGRA DE BH TERÁ MAIS DE 100 ATRAÇÕES

Evento vai de 18 a 24 de novembro com música, teatro, cinema, dança, exposições, seminário, residência, aulas e oficinas

10 edições e 24 anos de pioneirismo promovendo a arte e a cultura de matriz africana. É isso que o Festival de Arte Negra de Belo Horizonte – FAN-BH, vem celebrar de 18 a 24 de novembro.

O Festival fortalece as ações do mês da Consciência Negra em Belo Horizonte, buscando a democratização do acesso à cultura no espaço público e a promoção da igualdade racial, compondo um olhar expandido e diverso para focalizar as subjetividades negras e suas singularidades artísticas.

A abertura fica por conta do show “Aclamação A Olurum – Com Mateus Aleluia, Thalma de Freitas e Laércio de Freitas”, no dia 18 de novembro, às 20h, no Cine Theatro Brasil Vallourec.

Atrações

Em encontros guiados pelo tema Território Memória, o FAN-BH traz  artistas de longa trajetória, como o compositor Chico César, o músico Matheus Aeluia, o ator Antônio Pitanga, os rappers BNegão e Black Alien, e jovens destaques da cena negra, como os cineastas André Novaes e Gabriel Martins, de Contagem, a atriz Lira Ribas, que conduz espetáculo inédito em homenagem a seu pai, Marku Ribas, criado para o FAN-BH, e a humorista e jornalista Tia Má.

Outro destaque é o seminário “As cidades e o sagrado dos povos tradicionais: território, identidades e práticas culturais”, do projeto Jardins do Sagrado.

Ao todo, 100 atrações ocupam mais de 20 espaços da cidade e que também incluem exposições, performances, aulas, oficinas, convidados e convidadas de diversos estados e também do exterior, em atividades voltadas ao público de todas as idades. A programação completa pode ser acessada aqui.

10ª edição

O Festival de Arte Negra de Belo Horizonte perfaz um caminho subjacente à ancestralidade do povo negro, mas também à sua própria história na capital mineira. Celebra os locais e momentos, territórios e memórias que o constituem ao longo dos anos a sua permanência e resistência como espaço comum da cultura negra, tendo como inspiração a trajetória de Maria Beatriz Nascimento, historiadora, poeta, professora e ativista pelos direitos humanos no Brasil.

O evento está sendo construído junto a muitas outras ações culturais voltadas para o fortalecimento da diversidade cultural da cidade e para dar visibilidade a dimensões importantes da cultura que foram historicamente deixadas de lado. São ações de fortalecimento das manifestações tradicionais ou inovadoras, reconhecendo toda a importância histórica e simbólica da cultura de Belo Horizonte.

“Esse conjunto de ações demonstra um compromisso nosso em fortalecer as políticas públicas de cultura na cidade, especialmente aquelas que priorizam toda uma produção cultural que muitas vezes é secundarizada. O FAN é o melhor exemplo dessas políticas”, comenta o Secretário Municipal de Cultura, Juca Ferreira.

“O FAN-BH é um festival muito importante para Belo Horizonte e para o Brasil. As contribuições de matrizes africanas e das diásporas na formação da cultura brasileira e a pulsante e potente produção dessa cultura em Belo Horizonte, e em Minas Gerais, são fundamentais, e toda essa manifestação precisa ser vista, valorizada, compreendida e compartilhada por toda a cidade”, comenta a presidenta da Fundação Municipal de Cultura, Fabíola Moulin.

Um dos momentos mais esperados da edição 2019 reúne duas gerações de uma mesma família. Antônio Pitanga, que completa 80 anos, protagoniza a peça “Embarque Imediato” ao lado do filho Rocco Pitanga e com a presença da filha, Camila, em áudios e vídeos durante as cenas. A apresentação acontece dias 19 e 20, no Teatro Francisco Nunes.

Já a atriz mineira Lira Ribas preparou um espetáculo inédito, especial para a décima edição do FAN-BH, em homenagem ao pai, Marku Ribas, que completaria 72 anos. “Orange Lady” estreia dia 22, também no Francisco Nunes.

Chico César – Crédito José de Holanda

Lançamentos

Chico César lança seu novo disco, “Amor é um ato revolucionário”, durante o 10º FAN-BH, no dia 19, no Sesc Palladium. Outro artista que lançou álbum elogiado em 2019 e que integra a programação é Black Alien, com o show “Abaixo de Zero: Hello Hell” no dia 24, no Viaduto Santa Tereza. Na mesma data, BNegão apresenta “Canções Praieiras (e Outras estórias do mar)”, seu show recente, com releituras de Dorival Caymmi, no Teatro Francisco Nunes.

Da cena mineira, o FAN-BH traz nomes celebrados atualmente, como os cineastas André Novais, Gabriel e Maurílio Martins, de Contagem, elogiados por produções como “Temporada” e “No coração do mundo”, a performance “Sona”, da artista afrofuturista Zaika dos Santos, que compõe uma das ações reflexivas do evento, a cantora e compositora Elisa de Sena, o grupo Hakili e a banda periférica Suingue Safado.

Atrações Internacionais

Va-Bene é um artista multidisciplinar de Gana que apresenta duas performances a partir da provocação cultural e das identidades. Outro convidado do exterior é Doudou Rose Thioune, percussionista senegalês que ministra duas oficinas durante o evento, incluindo uma voltada ao público infantil.

Além deles, as alemãs Natahsa A. Kelly, cineasta, e Ana Helena Recke, diretora teatral, são as convidadas de uma das ações reflexivas do FAN-BH.

FAN-BH

O Festival de Arte Negra de Belo Horizonte – FAN-BH é dedicado à valorização e à difusão da arte negra. Suas referências articulam as raízes ancestrais da cultura negra às expressões de sua contemporaneidade e dedica-se a fortalecer as matrizes tradicionais africanas ainda preservadas e aquelas resultantes do contato com outras culturas.

Com periodicidade bienal, o festival compreende uma ampla programação cultural, marcada pela diversidade de linguagens artísticas e pela participação de artistas, grupos e pesquisadores da arte e da cultura negra.

Desde 1995, atua como um importante instrumento para valorização de manifestações populares, impulsionando a formação de um mercado local e fomentando a inserção de artistas da cidade nos circuitos culturais.

O trabalho de concepção e planejamento da edição 2019 foi conduzido pelo trio de curadoras Aline Vila Real, Grazi Medrado e Rosália Diogo. A realização é da Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Cultura e da Fundação Municipal de Cultura.

Anote!

Festival de Arte Negra de Belo Horizonte – FAN-BH
Data: 18 a 24 de novembro
Programação completa e informações: www.fan.pbh.gov.br
Entrada gratuita

Categorias
ETC...
Comente pelo Facebook

RELACIONADOS POR