BLACK MIRROR BANDERSNATCH: O “VOCÊ DECIDE” DA NETFLIX

BLACK MIRROR BANDERSNATCH: O “VOCÊ DECIDE” DA NETFLIX

Filme estreou na última quinta (27) na plataforma de streamming

Imagina assistir um filme em que você comanda os rumos que a história vai tomar? Essa é a proposta de Black Mirror: Bandersnatch, primeiro lançado pela Netflix com proposta de interatividade para o público adulto.

O longa, que estreou na última quinta (27), traz uma aventura moralmente comprometedora ambientada nos anos 80. O público vira o responsável pelo que acontecerá a seguir com o personagem principal, Stefan (Fionn Whitehead, de Dunkirk).

Stefan bola o videogame interativo Bandersnatch, em 1984 e, a partir daí a história se desenrola. As jornadas em que embarcará dependerão diretamente das decisões do público, que se torna cúmplice da realidade. Em Badersnatch, escolher sabiamente pode levar ao triunfo ou ao desastre.

A interatividade vai funcionar em TVs novas com controle remoto, consoles de games, computadores, tablets e celulares com Android e iOS. Mas, não será compatível com Apple TV, Chromecast e aparelhos mais antigos em geral.

Na hora de fazer uma escolha, uma barra aparece na parte de baixo da tela com as duas opções. Aí, o telespectador tem de 10 a 15 segundos para selecionar uma delas e continuar a história.

A Netflix estima em mais de um trilhão de variações na história, mas, oficialmente, cinco finais possíveis, com variações estão confirmados.

A plataforma já havia testado filmes interativos com duas séries infantis, Gato de Botas: Preso num Conto Épico e Minecraft: Story Mode. Agora, a Netflix já planeja expandí-lo para outros conteúdos.


Enredo

Em 1984, na Inglaterra, Stefan Butler, um programador de 19 anos, sonha em adaptar seu livro-jogo intitulado de Bandersnatch, do escritor Jerome F. Davis (Jeff Minter), no que ele acredita ser um videogame revolucionário de aventura. Butler produz o jogo para a empresa Tuckersoft, que é gerenciada por Mohan Thakur (Asim Chaudhry), que emprega o desenvolvedor de jogos Colin Ritman (Will Poulter). Butler tem a opção de aceitar ou rejeitar a ajuda da empresa em relação à roteirização de sua história.

A GENTE VIU

Eu (Paulinha) estava muito ansiosa para assistir o filme. Acho a ideia genial e fico imaginando a loucura que deve ter sido tirar isso do papel e fazer funcionar.

Tinha lido a sinopse então tinha uma certa imagem do que podia rolar, mas na real é bem diferente. A história começa por causa de um pseudo jogo de videogame, que no final das contas é o que permeia tudo mesmo.

É uma experiência divertida e diferente! É meio “poderoso” decidir sobre a vida de alguém, mesmo na ficção. A única coisa que me incomodou um pouco é que foi ficando maçante… Mas de um modo geral é bem legal! Uma ideia inovadora e sensacional! Vale a pena experimentar!

Categorias
ETC...
Comente pelo Facebook

RELACIONADOS POR