BH RECEBE O FESTIVAL DE LITERATURA MARGINAL

BH RECEBE O FESTIVAL DE LITERATURA MARGINAL

Evento acontece de 21 de fevereiro a 21 de março no Barreiro, Serra e Alto Vera Cruz

De 21 de fevereiro a 21 de março, a capital vai receber o FELIM – Festival de Literatura Marginal, que reunirá nomes consagrados da poesia nacional, da cena contemporânea e poetas de três regiões de BH: Barreiro, Serra e Alto Vera Cruz.

A programação conta com mesas de debates, fórum e o Sarau do Conhecimento, cujo tema será a homenageada do evento, Carolina Maria de Jesus, seu contexto e sua obra. Nos aglomerados, o Sarau do Conhecimento contará com a presença dos poetas das próprias comunidades que serão avaliados segundo critérios estabelecidos pela curadoria do festival.

Os três poetas mais bem pontuados participarão do evento de encerramento e os vencedores serão agraciados com premiações de R$1.500,00, R$1.000,00 e R$700,00, além de kits de livros. No intervalo em que os jurados escolherão os vencedores, haverá ainda uma festa com os blocos de carnaval Pena de Pavão, Seu Vizinho e Lindo Bloco do Amor.

Os saraus abertos à comunidade contarão, ainda, com a presença de nomes como Pieta Poeta (Belo Horizonte), Mel Duarte (São Paulo), Leticia Brito (Rio de Janeiro), Nelson Maka (Salvador), Bere Mc (Belo Horizonte), Chacal (Rio de Janeiro) e João Paiva (Belo Horizonte). Após o festival, um livro de bolso será publicado com poemas dos convidados para o Festival.

Flávio Renegado, rapper com forte atuação social, destaca a importância da arte na periferia. “Eu, que fui criado no Alto Vera Cruz, sou um exemplo de que a arte amplia horizontes e nos leva para lugares inimagináveis. Minha vida sempre foi de luta e a arte me proporcionou conhecer outros países, pessoas incríveis e experiências inesquecíveis”, conta o artista, que idealizou o FELIM junto com sua empresária, Danusa Carvalho.

 

Sobre Carolina Maria de Jesus

O FELIM ousa retomar a vida e obra da escritora mineira Carolina Maria de Jesus, que obteve grande sucesso editorial na década de 60. Nascida em 14 de março de 1914, a autora é considerada uma das primeiras e mais importantes escritoras negras do Brasil. A autora viveu boa parte de sua vida na favela do Canindé, na zona norte de São Paulo, sustentando a si mesma e seus três filhos como catadora de papéis. Em 1958 tem seu diário publicado sob o nome Quarto de Despejo, com auxílio do jornalista Audálio Dantas. O livro fez um enorme sucesso e chegou a ser traduzido para quatorze línguas. A escritora faleceu em 13 de fevereiro de 1977 vítima de insuficiência respiratória.

Anote!

Felim – Festival de Literatura Marginal
Data: 21 de fevereiro a 21 de março
Programação: na página do Festival no Facebook
Entrada franca
Classificação: Livre

Categorias
ETC...
Comente pelo Facebook

RELACIONADOS POR