BH CULT INDICA: POISON GAS

BH CULT INDICA: POISON GAS

17/03/2017 2 Por admin bhcult

No ano passado, durante o FICC (Festival Internacional de Cerveja e Cultura) uma banda em particular me chamou muito a atenção. A banda tocava grandes clássicos do rock, só música boa e resolvi dar uma olhada. Para minha surpresa, estavam no palco quatro meninos, de no máximo 12 anos: a Poison Gas. Todo mundo que assistia ao show ficou enlouquecido, e comigo não foi diferente.

A partir de então, comecei a acompanhar a banda nas redes sociais e em outros shows aqui na cidade. Cada vez que os via, eles pareciam estar melhores, com um som mais bem elaborado, mas sem perder a leveza e a alegria próprias da idade.

No último show que vi, por exemplo, no Carnavália, os meninos fizeram muito mais sucesso e atrairam mais gente do que algumas bandas que tocaram no palco principal. É preciso ver pra acreditar do que eles são capazes. E, pra mim, além de todas as qualidades, a Posion Gas é um alento, um sinal de que o rock nunca vai morrer!

A banda é formada por Davi Leão (vocal, baixo, teclado), Gabriel Colen (vocal, guitarra), Pedrinho (guitarra solo) e Rafael Baino (bateria). Conversamos com os integrantes sobre música e o trabalho da banda. Confere aí:

BH Cult: Qual são as influências musicais de vocês e o que os motivou a montar a banda?BAINO: Eu me influencio bastante no trabalho do Metallica, Guns, AC/DC, e um pouco também no Slipknot.
COLEN: A gente gostava de música desde pequeno. Cada um tocava seu instrumento, e nós éramos muito amigos, então achamos que ia ser muito legal e divertido tocar juntos. Quando montamos a banda, começamos a ouvir mais bandas como Nirvana, AC/DC, Guns n’ Roses, Rolling Stones. E é isso que a gente toca e gosta muito até hoje.
DAVI: Minhas influências são rock, heavy metal e blues. Decidimos montar a banda após um show de talentos que teve na escola, no 5° ano, e foi a primeira vez que tocamos juntos.
PEDRIN: Sempre quis tocar guitarra com alguém… via os shows de bandas famosas e me perguntava: será que tenho esse potencial?

BHC: Qual a banda preferida de cada um de vocês?
BAINO: Slipknot
COLEN: AC/DC, Iron Maiden e Queen
DAVI: Metallica, Black Sabbath
PEDRIN: Metallica

BHC: Como tem sido o retorno que tem recebido do público?
BAINO: Nós temos um retorno muito bom, na minha opinião. As pessoas que assistem os nossos shows gostam bastante, e eu fico muito feliz com isso.
COLEN: Sempre no final dos shows a gente fica lá com o público conversando, e é muito legal porque eles sempre elogiam muito, dizem que querem ver mais shows. Isso é muito bom, porque assim nós sabemos que estamos fazendo um bom som.
DAVI: Muitas pessoas falam que se emocionam, e falam que ainda há esperança no rock.
PEDRIN: Não acreditava. Parece até mentira, de tão bom que tem sido o público.

BHC: Vocês gravaram na Autêntica a primeira música autoral. Falem um pouco sobre ela.
BAINO: A gente tem como objetivo gravar um disco no final do ano. Mas, por enquanto, temos duas músicas autorais prontas, inclusive neste momento estamos gravando as duas em estúdio.
COLEN: Nós sempre gostamos de tocar músicas cover, de bandas que nós ouvimos, mas na verdade o nosso real objetivo é ter um som próprio. Quando fizemos nossa primeira autoral, a Doom’s Day, gostamos muito da ideia e decidimos continuar nesse projeto. Nossa segunda música é a Back on My Mind, e nela já sentimos uma evolução, porque depois da primeira a gente começou a ter uma ideia melhor de composição. Atualmente, estamos trabalhando com a gravação dessas duas músicas em estúdio, e quando terminarmos já iremos gravar a terceira e a quarta música, que já estão quase prontas e serão em português.
DAVI: É uma experiência incrível apresentar o nosso trabalho autoral no show, visto que é o nosso objetivo (já estamos em processo de gravação para o primeiro EP).
PEDRIN: Na verdade, quando gravamos ao vivo, lá na Autêntica, estávamos ainda no início do trabalho, então vamos gravar essa música esta semana no estúdio, mais profissionalmente.

Ouça aqui as autorais da Poison Gas: 
Doom’s Day:
https://www.facebook.com/Pois0nGas/videos/1890985341145879/

Back on my Mind:
https://www.facebook.com/Pois0nGas/videos/1891017784475968/

BHC: Já vi alguns shows de vocês (FICC, Carnavália, Circuito do Rock…) e acho incrível. Como tem lidado com esse novo momento da banda (mais público, assédio, entrevistas, shows grandes etc.)
BAINO: Eu fico muito feliz com o fato da banda estar crescendo e tocando em shows grandes, para grandes plateias. O meu sonho é ser um baterista profissional, e eu me sinto iniciando essa carreira, o que me deixa muito animado com isso tudo.
COLEN: A gente adora isso. Principalmente, porque o que nós mais queremos, é gostar do nosso som, e se as manifestações do público vêm como consequência, melhor ainda. Além disso, claro que esse movimento todo toma nosso tempo. A gente se dedica muito para conciliar tudo que está acontecendo principalmente com a escola, mas isso nunca foi uma preocupação pra gente, porque sempre demos muita importância e estamos bem com os estudos.
DAVI: Acho que é algo novo, mas é legal ser reconhecido pelo seu trabalho.
PEDRIN: Nós gostamos muito mesmo, estamos nos acostumando mais um pouco, e mesmo assim ainda ficamos um pouco tensos… mas isso é o melhor! O que importa é a alegria do público.

BHC: Vocês fizeram ou fazem aula de música, canto, postura etc. para aprimorar o som da banda?
BAINO: Cada um de nós faz aula particular de cada instrumento.
COLEN: Todos nós fazíamos aula de música desde pequenos, sempre tivemos um gosto especial por isso. Quando montamos a banda, e ela começou a ganhar maior seriedade, passamos a nos dedicar mais, mas na verdade nós nunca paramos com as aulas.
DAVI: Já fiz aula de canto e faço aula de piano, e sempre tenho o objetivo de aprimorar o som que eu produzo.
PEDRIN: Cada um tem seu professor particular que cuida da parte teórica do instrumento. E toda semana, a cada ensaio, quando adicionamos uma nova música, temos que treiná-la individualmente em casa antes.

BHC: Quais os planos daqui pra frente?
BAINO: Nossos planos são: ter um disco no final de 2017, tocar em shows grandes, e encantar a galera com muito rock de boa qualidade.
COLEN: Daqui pra frente, o nosso foco é estabelecer um projeto autoral grande e legal. Esperamos ter pelo menos um CD até o final desse ano, então vamos seguir compondo muito, e também fazendo muitos shows.
DAVI: Pretendemos lançar nosso EP e mais pra frente um álbum, e o objetivo é seguir com a nossa mensagem, que é continuar com o rock.
PEDRIN: Eu espero ser famoso internacionalmente (sou muito sonhador), com um público sempre animado, faça chuva, faça sol, faça qualquer coisa… o que mais importa é ver o público cantando junto conosco.

É muito legal perceber neles, mesmo tão novos, uma consciência musical gigantesca e os pés no chão. Não é a toa que eles tem feito tanto sucesso por aí. Só quem já foi aos shows sabe que é pra matar qualquer um do coração (de tanta fofura e de tanto que o som é massa)! Só nos resta dizer: VIDA LONGA A POISON GAS!!!

Acompanhe a banda nas redes sociais:
Facebook: PoisOnGas
Instagram: poisongasoficial