BH CULT INDICA: PLUTÃO JÁ FOI PLANETA - %%%%

BH CULT INDICA: PLUTÃO JÁ FOI PLANETA

A última edição do programa Superstar, da Globo,  me apresentou essa banda que eu a-do-rei! Plutão Já Foi PLaneta ficou em 2º lugar mas deixou sua marca com um...

A última edição do programa Superstar, da Globo,  me apresentou essa banda que eu a-do-rei! Plutão Já Foi PLaneta ficou em 2º lugar mas deixou sua marca com um som autoral marcante, numa mistura entre rock e indie.

De Natal, no Rio Grande do Norte, a banda surgiu em setembro de 2013 e é formado atualmente por Natália Noronha, Gustavo Arruda, Sapulha Campos, Khalil Oliveira e Vitória de Santi e suas influências passeiam entre Os Mutantes, Los Hermanos, John Frusciante e Little Joy e grupos do Indie Pop britânico atual, como Bombay Bicycle Club e Little Comets.

Uma das marcas da banda é a instrumentação diversificada, com a utilização do ukulele, escaleta e sintetizador. Não deixa de lado, entretanto, a formação base com guitarras, baixo e bateria. Os integrantes ainda brincam com diferentes estilos, transitando entre o indie folk e o rock popular, levados sempre pelas vozes de Sapulha, Natália e Gustavo, tanto individualmente quanto em conjunto.

Na coluna BH Cult Indica de hoje, conversamos com o Sapulha, que nos contou um pouco mais sobre a história da banda e sobre a expectativa pro show que eles fazem nesta quinta-feira, dia 22 de junho, na Autêntica. Confira:

15241767_10157801880230257_5761014800696250078_nBH Cult Blog: Há quanto tempo existe a banda e como surgiu a ideia de montá-la?
Sapulha: A banda existe há quase quatro anos, com algumas mudanças na formação. Agora, por exemplo, contamos com um novo baterista, o Renato Lélis. A banda surgiu quando eu (Sapulha) e Gustavo nos conhecemos. Ele era meu aluno em uma escola de Inglês. Várias conversas no fim da aula sobre música instigaram essa vontade de ter uma banda. No começo, formamos uma banda cover pra tocar na noite em Natal. Com o tempo veio a vontade, quase necessidade, de fazer um trabalho autoral. Achamos legal a ideia de ter um vocal feminino e convidamos Natália, que aceitou e estamos aí até hoje.

BHC: Vcs já lançaram 2 discos autorais. Como descrevem o trabalho da banda e o processo de composição das músicas.
S: Há uma essência nas nossas composições que tem uma forma espontânea. O primeiro trabalho, o Daqui Pra Lá, foi feito de uma maneira muito despretensiosa. Ninguém pensava em viver disso, como fazemos hoje. Não houve produção, gravamos rápido. Embora existam alguns problemas técnicos, gostamos da essência que existe ali e também está presente no segundo disco, A Última Palavra Feche a Porta. Esse é mais trabalhado, produzido pelo Gustavo Ruiz. É mais pensado. O processo de composição vem geralmente de um esqueleto, trazido por Natália, eu ou Gustavo. Depois levamos pro estúdio e a banda toda participa da produção de arranjos e mudanças necessárias.

179827BHC: Participar do Superstar deve ter dado um gás bom na carreira, né? Como avaliam a participação da banda?
S: Deu um bom gás, sim. Nos deu uma projeção que proporcionou a profissionalização do trabalho. Mudamos tudo. Largamos emprego, faculdade, a nossa cidade. A banda hoje vive em São Paulo com o objetivo de aumentar essa exposição. Só temos coisas boas sobre isso. Não conseguimos pensar em nada negativo.

 

18698041_1443829985677464_612188443195782876_n

 

Acompanhe a banda nas redes sociais 
Facebook: plutaojafoiplaneta
Instagram: plutaojafoiplanetaoficial
Twitter: plutaojafoiplnt
Site: www.plutaojafoiplaneta.com
Youtube: Plutão Já Foi Planeta

 

 

Categorias
BH Cult Indica
Comente pelo Facebook

RELACIONADOS POR